Engenheiro colocou faixa bem humorada contra o barulho da igreja

[04 Novembro 03h07min]

Quem passa pela avenida Humberto Monte, quase esquina com a José Bastos, pode verificar uma faixa no alto de uma residência, onde se lê: ”Deus não é surdo, orem baixo! Respeitam o sossego dos outros, respeitem a lei”. A iniciativa arranca risos de alguns e aplausos de outros que conhecem bem o problema vivido há três anos pelo engenheiro agrônomo aposentado Francisco Gentil, de 66 anos. Ele mora há 40 anos naquele endereço e há três convive com a poluição sonora provocada pela Assembléia de Deus Canaã.

O vizinho trava uma verdadeira guerra contra o barulho do templo e já gastou muito dinheiro com aluguel de trio elétrico, montagem de sistema de som em sua casa, faixas e outras ”campanhas” contra a igreja. ”De nada adiantou. Coloca o som bem alto para eles verem como incomoda, mas fiz apenas inimigos e ao invés de respeitarem o ambiente, eles vinham com ameaças de que possuem juiz, promotor e coronel da polícia entre eles”, reclama Gentil.

Diante de uma tentativa inútil de fazer baixar o som, ”já que nem a polícia, nem o Disque Silêncio deram jeito”, Gentil decidiu entrar nos Juizados Especiais. Um audiência foi marcada para o início deste ano, mas o juiz faltou e a reunião foi remarcada para oito meses depois, no caso, o próximo dia 11 de novembro. ”Eles (representantes da Canaã) nem sequer foram para a audiência, parece mesmo que sabiam que não ia acontecer”, questiona.

Apesar da casa grande e espaçosa, o barulho vindo da igreja nos momentos de culto impede a família Gentil de assistir a um filme ou ver um programa de tevê. ”Aos domingos começa às 6 horas e vai até a noite nesse inferno”, reclama.

A jornalista Eva Silva é freqüentadora da Assembléia de Deus Canaã e apesar de não ser assessora de comunicação da igreja, diz poder responder neste caso. Segundo ela, a igreja não é barulhenta, ”ao contrário, nos cultos, quem senta mais atrás quase não escuta o pastor”. Ela assegura que não foi recebida nenhuma intimação da Justiça sobre o caso.

Anúncios