novembro 2003


Para descontrair…

Quatro jovens recém-formados em 4 grandes centros de tecnologia do mundo (MIT, Harvard, Sorbonne e Universidade da Paraíba) se classificaram para disputar uma vaga em uma multinacional instalada no Brasil. Alguns dias depois, são chamados para uma entrevista com o Diretor Geral da empresa no Brasil. Chegando lá, a proposta é responder a uma única pergunta, que, dependendo da resposta poderia desclassificar o candidato.

Vamos as entrevistas:

1) Candidato do MIT:

Diretor: Qual é a coisa mais rápida do mundo?

Candidato: Ora, é um pensamento.

Diretor: Por que?

Candidato: Porque um pensamento ocorre quase instantaneamente.

Diretor: Muito bem, excelente resposta.

2) Candidato de Harvard:

Diretor: Qual é a coisa mais rápida do mundo?

Candidato: Um piscar de olhos.

Diretor: Por que?

Candidato: Porque é tão rápido que às vezes nem vemos.

Diretor: Ótimo.

3)Candidato de Sorbonne:

Diretor: Qual é a coisa mais rápida do mundo?

Candidato: A eletricidade.

Diretor: Por que?

Candidato: Veja, ao ligarmos um interruptor, acendemos uma lâmpada a 5 km de distância instantaneamente.

Diretor: Excelente.

4) Candidato da Universidade da Paraíba

Diretor: Qual é a coisa mais rápida do mundo?

Candidato: Uma diarréia…

Diretor: Como assim? Está brincando? Explique isso…

Candidato: Isso mesmo. Ontem à noite eu tive uma diarréia tão forte, que antes que eu pudesse pensar, piscar os olhos ou acender a luz, já tinha me borrado todo…

Diretor: O emprego é seu..

Anúncios

Um professor ateu desafiou seus alunos com esta pergunta:

– Deus fez tudo que existe?

Um estudante respondeu corajosamente: – “Sim, fez!”

– Deus fez tudo, mesmo?

– Sim, professor – respondeu o jovem.

O professor replicou:

– Se Deus fez todas as coisas, então Deus fez o mal, pois o mal existe, e considerando-se que nossas ações são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mal.

O estudante calou-se diante de tal resposta e o professor, feliz, se vangloriava de haver provado uma vez mais que a Fé era um mito.

Outro estudante levantou sua mão e disse:

– Posso lhe fazer uma pergunta, professor?

– Sem dúvida, respondeu-lhe o professor.

O jovem ficou de pé e perguntou:

– Professor, o frio existe?

– Mas que pergunta é essa? Claro que existe, você por acaso nunca sentiu frio?

O rapaz respondeu:

– Na verdade, professor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos frio, na realidade é ausência de calor. Todo corpo ou objeto pode ser estudado quando tem ou transmite energia, mas é o calor e não o frio que faz com que tal corpo tenha ou transmita energia. O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor, todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Criamos esse termo para descrever como nos sentimos quando nos falta o calor.

– E a escuridão, existe? – continuou o estudante.

O professor respondeu:

– Mas é claro que sim.

O estudante respondeu:

– Novamente o senhor se engana, a escuridão tampouco existe. A escuridão é na verdade a ausência de luz. Podemos estudar a luz, mas a escuridão não. O prisma de Newton decompõe a luz branca nas varias cores de que se compõe, com seus diferentes comprimentos de onda.

A escuridão não. Um simples raio de luz rasga as trevas e ilumina a superfície que a luz toca.

Como se faz para determinar quão escuro está um determinado local do espaço?

Apenas com base na quantidade de luz presente nesse local, não é mesmo? Escuridão é um termo que o homem criou para descrever o que acontece quando não há luz presente.

Finalmente, o jovem estudante perguntou ao professor:

– Diga, professor, o mal existe?

Ele respondeu:

– Claro que existe. Como eu disse no início da aula, vemos roubos, crimes e violência diariamente em todas as partes do mundo, essas coisas são o mal.

Então o estudante respondeu:

– O mal não existe, professor, ou ao menos não existe por si só. O mal é simplesmente a ausência de Deus. É, como nos casos anteriores, um termo que o homem criou para descrever essa ausência de Deus. Deus não criou o mal. Não é como a Fé ou o Amor, que existem como existe a Luz e o Calor. O mal resulta de que a humanidade não tenha Deus presente em seus corações. É como o frio que surge quando não há calor, ou a escuridão que acontece quando não há luz.

O Piano…

Desejando encorajar o progresso de seu jovem filho ao piano, uma mãe o levou um concerto de Paderewski.

Depois de sentarem, a mãe viu uma amiga na platéia e foi até ela para sauda-la.

Tomando a oportunidade para explorar as maravilhas do teatro, o pequeno menino se levantou e suas explorações o levaram a uma porta onde estava escrito “PROIBIDA A ENTRADA”.

Quando as luzes abaixaram e o concerto estava prestes a começar, a mãe retornou ao seu lugar e descobriu que seu filho não estava lá. De repente, as cortinas se abriram e as luzes caíram sobre um impressionante piano Steinway no centro do palco. Horrorizada, a mãe viu seu filho sentado ao teclado, inocentemente cantando as notas de uma música infantil. Naquele momento, o grande mestre de piano fez sua entrada, rapidamente foi ao piano, e sussurrou no ouvido do menino:

– Não pare, continue tocando.

Então, debruçando-se, Paderewski estendeu sua mão esquerda e começou a preencher as notas do baixo. Logo, colocou sua mão direita ao redor do menino e acrescentou um belo acompanhamento de melodia. Juntos, o velho mestre e o jovem noviço transformaram uma situação embaraçosa em uma experiência maravilhosamente criativa.

O público ficou perplexo . . .

É assim que as coisas são. O que podemos conseguir por conta própria mal vale mencionar.

Fazemos o melhor possível, mas os resultados não são exatamente como uma música graciosamente fluida. Mas, com as mãos do Mestre, as obras de nossas vidas verdadeiramente podem ser lindas.

Na próxima vez que você se determinar a realizar grandes feitos, ouça atentamente. Você pode ouvir a voz do Mestre, sussurrando em seu ouvido :

– Não pare, continue tocando.

Sinta seus braços amorosos ao seu redor.

Saiba que suas fortes mãos estão tocando o concerto de sua vida.

Lembre-se, Deus não chama aqueles que são equipados. Ele equipa aqueles que são chamados. E Ele sempre estará lá para amar e guiar você a grandes coisas.

Engenheiro colocou faixa bem humorada contra o barulho da igreja

[04 Novembro 03h07min]

Quem passa pela avenida Humberto Monte, quase esquina com a José Bastos, pode verificar uma faixa no alto de uma residência, onde se lê: ”Deus não é surdo, orem baixo! Respeitam o sossego dos outros, respeitem a lei”. A iniciativa arranca risos de alguns e aplausos de outros que conhecem bem o problema vivido há três anos pelo engenheiro agrônomo aposentado Francisco Gentil, de 66 anos. Ele mora há 40 anos naquele endereço e há três convive com a poluição sonora provocada pela Assembléia de Deus Canaã.

O vizinho trava uma verdadeira guerra contra o barulho do templo e já gastou muito dinheiro com aluguel de trio elétrico, montagem de sistema de som em sua casa, faixas e outras ”campanhas” contra a igreja. ”De nada adiantou. Coloca o som bem alto para eles verem como incomoda, mas fiz apenas inimigos e ao invés de respeitarem o ambiente, eles vinham com ameaças de que possuem juiz, promotor e coronel da polícia entre eles”, reclama Gentil.

Diante de uma tentativa inútil de fazer baixar o som, ”já que nem a polícia, nem o Disque Silêncio deram jeito”, Gentil decidiu entrar nos Juizados Especiais. Um audiência foi marcada para o início deste ano, mas o juiz faltou e a reunião foi remarcada para oito meses depois, no caso, o próximo dia 11 de novembro. ”Eles (representantes da Canaã) nem sequer foram para a audiência, parece mesmo que sabiam que não ia acontecer”, questiona.

Apesar da casa grande e espaçosa, o barulho vindo da igreja nos momentos de culto impede a família Gentil de assistir a um filme ou ver um programa de tevê. ”Aos domingos começa às 6 horas e vai até a noite nesse inferno”, reclama.

A jornalista Eva Silva é freqüentadora da Assembléia de Deus Canaã e apesar de não ser assessora de comunicação da igreja, diz poder responder neste caso. Segundo ela, a igreja não é barulhenta, ”ao contrário, nos cultos, quem senta mais atrás quase não escuta o pastor”. Ela assegura que não foi recebida nenhuma intimação da Justiça sobre o caso.

Casamento da Bety e do Erlon

Enfim chegou o grande dia. Dia 01/11/2003 a Bety e o Erlon concluiram mais uma bela etapa de suas vidas e partiram para um caminho mais lindo ainda, o casamento.



A começar pela equipe de música que nos proporcionou momentos maravilhos de louvor na presença de Deus.



Como não podia deixar de ser os músicos do grupo familiar estavam lá. A Juliana Camargo no teclado, em primeiro plano e o Paulino ao violão. Ano que vem é a vez deles.



Bom, a decoração estava muito bonita e de extremo bom gosto. A predileção da Bety por girassóis nos proporcionou um ambiente muito bonito.



E lá estávamos nós felizes com os noivos.



O grande momento. A Bety ficou maravilhosa de azul.



O Erlon não cabia em si. Estava feliz hein?



Todas as belas do grupo familiar estavam lá.



E as feras também.

Bety e Erlon, foi muito legal ter compartilhado da presença de vocês no Grupo Familiar Coberto de Graça e que esta Graça possa acompanhá-los neste novo caminho que, com certeza, será maravilhoso e cheio de vitórias. Amamos vocês.

Tony, Raquel, Nícolas e G.F. Coberto de Graça.