Histórias que a vida conta…

Como juiz, estava sentenciando vários réus quando vi um rosto vagamente conhecido. Revendo a ficha dele, verifiquei que o homem tinha uma carreira de crimes, salvo por um período de cinco anos, em que não houvera condenações:

– Milton, – indaguei, intrigado – Como é que você conseguiu não se meter em apuros durante estes cinco anos?

– Eu estava preso – respondeu. – O senhor devia saber, foi quem me mandou para lá.

– Impossível – disse eu. – Nesta época eu ainda não era juiz.

– Não, o senhor não era o juiz. Era meu advogado.

Philip Riley

Estados Unidos

(Publicado originalmente na revista Seleções de março de 2002)