O ALIMENTO DO REI

Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias; e que se nos dêem legumes a comer e água a beber.

Então se examine na tua presença o nosso semblante e o dos jovens que comem das iguarias reais; e conforme vires procederás para com os teus servos.

Assim ele lhes atendeu o pedido, e os experimentou dez dias.

E, ao fim dos dez dias, apareceram os seus semblantes melhores, e eles estavam mais gordos do que todos os jovens que comiam das iguarias reais.


Daniel 1:12-15

Na Comunhão Cristã ABBA temos cantado:

“Tenho sede de Ti; Tenho sede da Tua presença;

Tenho fome de Ti. Tenho fome da Tua palavra”.

Isto significa que como congregação temos buscado o alimento no Senhor e temos tido consciência de que só Nele podemos encontrar este alimento. “Como ovelhas, comemos e bebemos nos pastos do pastor. O pastor dá o melhor alimento para suas ovelhas. A Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada é o nosso “pasto”. Nela encontramos o alimento perfeito que permite-nos saciar nossa fome e dá-nos acesso à Água Viva e purificadora que sacia nossa sede.

Mas nós, principlamente os jovens, devemos ter cuidado para não nos contaminar com o alimento que o rei oferece. Por vezes parece que este alimento é o melhor, é o mais nutritivo, engorda mais, é mais divertido, é mais radical, não é monótono, é mais doce, enfim, é o mais gostoso. Mas o alimento do rei, o que o mundo nos oferece, contamina nosso espírito. Tal qual a gordura ou o açucar em excesso, este alimento causa o mau funcionamento de nosso “organismo espiritual”. Se não tomarmos cuidado poderemos sofrer um infarto espiritual, pois nossa mente estará entupida pelos altos níveis de colesterol e triglicerídeos que impedem que recebamos plenamente a vida que emana do Pai. Como em um organismo doente, onde as veias estão entupidas mas permitem passagem de um pouco de sangue, o mesmo pode ocorrer com o espírito, quando ele recebe a Palavra de Deus mas sofre com o mal funcionamento que o pecado impinge a ele. Um organismo que funciona mal está sempre em dificuldades, não pode correr pois se cansa mais rapidamente, respira com dificuldade pois o sangue circula com sofreguidão e não supre a contento o organismo de oxigênio, não pode experimentar guloseimas pois lhe falta a insulina que impede o acumulo deste açucar. Quem tem dificuldades em assimilar as coisas do Reino fica para trás pois tem dificuldade em acompanhar o rebanho, logo se cansa. O oxigênio da Palavra do Senhor circula com dificuldade porque não há revelação, não há vida nas palavras recebidas e, consequentemente não pode experimentar as “guloseimas” que Deus preparou em sua mesa porque um corpo não santificado não resiste quando recebe o “açucar” que está nesta mesa.

Vemos que Daniel, Hananias (Sadraque), Misael (Mesaque) e Azarias (Abednego) decidiram receber apenas o alimento de Deus e, ao final de 10 dias, estavam mais saudáveis e mais gordos que os demais jovens que receberam o alimento do rei. Certamente a água e os legumes que Daniel e seus amigos receberam não eram tão gostosos e aprazíveis aos olhos quanto o alimento do rei, porém se mostraram muito mais saudáveis, pois não impregnaram o organismo espiritual deles com o colesterol e o triglicerídeo que o alimento do rei proporcionava, ou seja, não se contaminaram.

Aos pitocos (Grupo Familiar Coberto de Graça) e aos jovens um lembrete: Deus tem nos dado uma mesa farta, com o mais puro e nutritivo alimento. Receba-o. Negue-se a contaminar-se com o alimento do rei, e nunca mais você terá fome, nunca mais você terá sede.

A Graça e a Paz do Senhor .