Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

I Coríntios 13 :13

A fé e a esperança são inerentes ao ser humano e, na verdade, estas são as molas propulsoras que o impulsionam, e que fazem com que ele busque e rompa seus limites. O grande problema é quando o homem deposita a sua fé e a sua esperança em alvos errados que acabam por frustrá-lo, e a frustração sufoca a fé e a esperança. Por isso vemos muitas pessoas tornando-se céticas porque em um determinado momento de suas vidas depositaram suas expectativas em coisas falíveis e temporais. Quantas vezes você já ouviu um cristão desviado dizendo: “Me decepcionei com a Igreja, me decepcionei com Deus.” Com certeza não foi Deus que frustrou a expectativa destas pessoas. Foram sim, os homens, os santos, as más intenções, o dolo. Se a tua fé e a tua esperança estão baseadas na verdade de Deus, não há como você se frustrar. Deus não falha e em sua palavra promete que tudo o que acontece aos que O amam, concorre para o seu próprio bem. Portanto, esta é uma promessa para o fortalecimento da fé e não para o seu sufocamento. Por ser inerente ao homem, a fé e a esperança passarão.

O amor jamais acaba;

I Coríntios 13:8

O amor é inerente a Deus. Na verdade, O amor é Deus e Deus é amor. O homem pode experienciar deste amor, pode vivenciá-lo se se entregar a Deus e permitir que Ele atue em sua vida. Mas nunca, jamais, de forma alguma o homem poderá entender plenamente este amor, pois ele foge à sua compreensão. O homem passará e com ele, a fé e a esperança. Deus permanecerá pela eternidade e com Ele permanecerá o amor, pois ele é eterno em Deus. Ao homem cabe escolher depositar sua fé e esperança em Deus para poder viver a eternidade na presença do amor vivo de Deus.

Por isso permanecem hoje e fé, a esperança e o amor; e o maior destes é o amor.

Tony