“Meu” Evangelho

“Segundo o meu evangelho” (Romanos 16:25).

O testemunho autêntico requer um evangelho apaixonadamente

pessoal. Paulo falou do seu evangelho. Qual é o nosso?

“Evangelho” significa “boas novas”. Esta palavra, no grego,

euaggelion, nos tempos antigos era empregada em três

sentidos. Significava o portador de boas novas, as próprias

boas novas e a recompensa do portador das boas novas. Estes

três também se aplicam a nós. Somos os comunicadores das

boas novas da vida, mensagem, morte, reconciliação e

ressurreição de Jesus Cristo. O que Ele conseguiu para a

nossa salvação, vida eterna e o viver abundante e o conteúdo

de nossas boas novas. Ele mesmo é a nossa recompensa.

O Evangelho contém a verdade do que Cristo fez e faz. E a

declaração da promessa da vida como devia ser. O conteúdo do

Evangelho é a mensagem do Novo Testamento. Essa mensagem

deve tornar-se o meu evangelho e o seu evangelho. O

evangelho segundo o leitor e segundo a mim é o evangelho que

foi gravado em nosso pensamento, nossa compreensão, ação e

atitude-a verdade bíblica passada através da experiência

temperadora até tornar-se parte integrante das boas novas

encarnadas-o evangelho que move sobre duas pernas. Somente o

“nosso” evangelho pode tornar-nos testemunhas contagiosas

hoje.

Somente aquilo que redescobrimos constantemente pode ser

reproduzido coerentemente.

Paulo Roberto Barbosa

Um cego na Internet